top of page
  • amigosdabolaecia

SEBASTIÃO CARVALHO LEME - ORGULHO DE MARÍLIA - PARTE 1

Atualizado: 20 de mai.



TODO CONTEÚDO DESTA SEÇÃO (INCLUSIVE AS LEGENDAS) ESTÁ RELACIONADO AO ANO DE 1956 DA CIDADE DE MARÍLIA (SP) DE AUTORIA DE SEBASTIÃO CARVALHO LEME


(continuação...)


LÍDER HOTEL



“Há muito tempo construído, o edifício do Líder Hotel (rua 9 de Julho x São Luiz), ostenta ainda em nossos dias a imponência e beleza. Como meio de hospedagem, o líder Hotel se destaca   como um dos principais”. (O hotel pertence à empresário Cacilda Mendonça).


HOSPEDAGENS NA ÉPOCA


- Líder Hotel

- Grande Hotel

- Hotel São Bento

- Hotel Santa Helena

- Hotel Avenida

- Hotel Central

- Hotel César

- Hotel Colombo

- Hotel Comercial

- Hotel D´Oeste

- Eden Hotel

- Hotel Luso

- Hotel 9 de Julho

- Hotel Familiar

- Hotel Progresso

- Rex Hotel

- Hotel Roma

- Hotel São Luiz

- Hotel Siriani

- Pensão Central

- Pensão Cooperativa

- Pensão Cristal

- Pensão Estação

- Pensão Familiar

- Pensão Federal

- Pensão Ipiranga

- Pensão Mampei

- Pensão Marília

- Pensão Mori

- Pensão N. Sra. Aparecida

- Pensão Okumura

- Pensão Paulista

- Pensão 15 de Novembro

- Pensão Quitandinha

- Pensão São Bento

- Pensão São Francisco

- Pensão Santa Terezinha

- Pensão Tuffi


TEATRO DA JUVENTUDE CATÓLICA





ESCOLAS – “Sim, escolas e mais escolas para a juventude brasileira. Esse é o lema a ser seguido pelos dirigentes do Brasil. São nas benditas escolas que os menores podem encontrar os pequenos ensinamentos, tão úteis em nossos dias ao aprimoramento da raça”.




"Vista do Grupo Escolar "Thomaz Antonio Gonzaga", estabelecimento de ensino primário localizado à avenida Pedro de Toledo"






"Vista do 3o Grupo Escolar de Marília localizado à rua Bartholomeu de Gusmão no operoso bairro da Vila São Miguel"





"Vista do Grupo Escolar 'Gabriel Monteiro da Silva' situado na avenida Santo Antonio"



"Grupo de Crianças formado no Parque Infantil 'Monteiro Lobato', tendo à esquerda uma das mestras. O parque ocupa uma área de um quarteirão




"Piscina do Parque Infantil 'Monteiro Lobato'"




Grupo de crianças plantando uma árvore num dos educandários de Marília"



"Edifício do Colégio Estadual e Escola Normal de Marília localizado na Praça da Bandeira. São dos bancos desse estabelecimento de ensino secundário que a maioria da mocidade mariliense tem demonstrado afora de nossos rincões a sua capacidade intelectual"





"Turma de formandos do Ginásio São Bento, onde se vê além de diversos mestres, o Reverendíssimo Arcebispo - Bispo da Diocese de Marília, Don Hugo Bressane de Araújo e o reitor do estabelecimento, Padre Phirmino Schmid






"Estado atual das obras do Educandário Bezerra de Menezes, vendo-se um grupo de elementos colaboradores"






"Solenidade de formatura de contabilistas realizada nos salões da Faculdade de Ciências Econômicas, vendo-se ao fundo o nobre Ulysses Guimarães, atualmente presidente da Câmara Federal"



"Uma das inúmeras turmas do Aeroclube de Marília por ocasião do término do Curso de Pilotagem Civil"





"No clichê aparece em seu gabinete de trabalho o Sr. Anselmo Scarano, um dos baluartes e esteio da imprensa mariliense. Dedicado funcionário do Correio de Marília, procura por todos os meios fazer chegar aos leitores marilienses o que vai de progresso em nossa terra"




"Aspecto de uma das solenidades do 'Copeban', aparecendo grupo formado por funcionários da Cooperativa Banco de Marília Ltda




"Local onde se acha instalada a Rádio Clube de Marília S/A - PRI-2, a primeira da rádiofusão em nossa cidade, situando-se à rua Paes Leme"




"Vista do interior da Catedral de São Bento por ocasião de um dos cultos ali realizados"




"Quadro formado por menores abrigados pela ASSOCIAÇÃO FILANTRÓPICA DE MARÍLIA", podendo-se observar o elevado número de crianças ali internadas, as quais recebem todos os amparos necessários à boa formação do homem de amanhã".


 




"O atual prefeito engenheiro MIGUEL ARGOLLO FERRÃO quando inaugurava em 29-1-1956 a nova sede da ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE MARÍLIA, à rua 4 de Abril, aparecendo ainda os numerosos convidados presentes à importante solenidade".




"Solenidade de juramento realizada a 1o de janeiro de 1956, na Câmara Municipal de Marília, aparecendo à esquerda o atual prefeito, engenheiro MIGUEL ARGOLLO FERRÃO, e ainda, à direita, o presidente do Legislativo, JOSÉ GUIMARÃES TONI".




"Vista como essa é peculiar em estabelecimentos bancários de Marília. Guichês pagadores e recebedores sempre superlotados, numa demonstração viva do quanto é enorme o crescimento comercial, industrial e agrícola de Marília".




"Grupo de lavradores e pecuaristas por ocasião de uma das muitas muitas reuniões da categoria. Debatiam os problemas, reclamo e anseios junto aos poderes competentes para a melhoria dos preços e dos produtos





"Solenidade por ocasião da instalação e inauguração da Sub-Agência da COOPERATIVA BANCO DE MARÍLIA, no vizinho distrito de Ocauçu, aparecendo em primeiro plano diretores do banco, convidados e ainda o vigário da paróquia local, Padre MANOEL DESCAMPS, quando benzia o estabelecimento".





"Grupo de internas do LAR DA CRIANÇA, instituição essa que procura da melhor maneira possível amparar e encaminhar essas pequenas desafortunadas da sorte".




"Foto tirada por ocasião da passagem do Natal no interior da MANSÃO ISMAEL, vendo-se um grupo de asilados comemorando o nascimento de Jesus".



ASILO SÃO VICENTE DE PAULO


ASILO DE SÃO VICENTE DE PAULO - "Com o fim específico de dar abrigo a velhos desemparados de ambos os sexos, foi fundado em 24 de dezembro de 1943. Localizado à avenida Vicente Ferreira, 731, constando um pavilhão central, sala de visita, secretaria, capela, refeitório, cozinha, despensa, dormitórios, almoxarifado, entre outros, estando sob a direção das irmãs do Sagrado Coração de Jesus".




"Vista do ALBERGUE NOTURNO SÃO JOSÉ, localizado à avenida Sargento Ananias de Oliveira, o qual tem por finalidade exclusiva dar agasalho noturno provisório às pessoas que o procuram".



HOSPITAL ESPÍRITA DE MARÍLIA - "Fundado em 1939, por uma diretoria composta pelos senhores EURÍPEDES SOARES DA ROCHA, SANTOS XANDÓ DE ARAÚJO, PAULO CORRÊA DE LARA, J. HERCULANO PIRES, LUIZ LARAYA e HIGGYNO MUZZI FILHO, teve a construção iniciada a 3 de outubro de 1943. Localiza-se à rua Dr. Joaquim de Abreu Sampaio Vidal, 470 (ex-rua Santa Ernestina), em majestoso edifício, tendo sua especialização no setor de psiquiatria. Possui farmácia, laboratório, necrotério, sala de esterilização (2) e 228 leitos. O seu corpo clínico é formado por quatro médicos".



"O HOSPITAL MARÍLIA S/A foi fundado em julho de 1936, pelos médicos RODRIGO ARGOLLO FERRÃO e MÁRIO LIMA. Localizado na avenida Sampaio Vidal, 42, possui 56 leitos e oito caminhas para recém-nascidos. O estabelecimento possui farmácia, necrotério, lavanderia, aparelhos de raios-x entre outros. O corpo clínico do hospital é de 40 facul

tativos (médicos)".






"No presente clichê, aparece dona ELOÁ DA SILVA QUADROS, esposa do governador JÂNIO DA SILVA QUADROS, por ocasião da visita deste a Marília (ano de 1955). Não deixando de demonstrar seu vivo interesse pela infância, ei-la em visita à Associação Feminina, Maternidade e GOTA DE LEITE"




"Como estabelecimento hospitalar dos maiores e mais modernos, destacamos a SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE MARÍLIA. A ala à esquerda é a Maternidade "Dona Maria Izabel Sampaio Vidal", ao lado a Santa Casa e, à direita, o Pavilhão Infantil, já em fase adiantada de construção".




"No campo de assistência médico-sanitária, Marília conta com aparelhagens das mais modernas, como a que podemos observar no presente clichê, pertencente à Santa Casa de Misericórdia".




"A ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA, vista externa, tendo ao fundo o ginásio esportivo do Yara Clube. O serviço de abastecimento de água de Marília está se desenvolvendo até os locais mais afastados da cidade, notando-se que, em diversos pontos da cidade, vêm-se aberturas de valetas nas ruas, demonstrando assim o interesse da municipalidade e de proprietários de moradias, por tal melhoramento".




ESGOTO - "Como acontece com o serviço de abastecimento de água, tem também a Prefeitura em suas mãos, este outro grande melhoramento. O poder público municipal não descansa quanto ao aumento da rede de água e esgoto. Como se pode observar no clichê, os dedicados operários de nossa Prefeitura, cotidianamente, realizam esse serviço numa corrida célere e desenfreada ao campo do progresso".




Visão noturna da avenida Sampaio Vidal




"No que tange a repartições públicas federais, destaca-se a agência local do DEPARTAMENTO DE CORREIOS E TELÉGRAFOS, recém-construída, a qual veio cobrir uma lacuna que existia, dado o grande movimento existente. Construído em linhas de arquitetura moderna, veio embelezar ainda mais a cidade. Note-se ao lado o edifício da Escola Senai".




"Maquete do PAÇO MUNICIPAL, já em fase de construção, o qual localizar-se-á à avenida Sampaio Vidal, confluência com a rua Bahia. Foi projetado gratuitamente pelo arquiteto Dr. Miguel Badra Jr., irmão do Dr. Aniz Badra, elementos que têm as atenções voltadas para o progresso de Marília".





SEBASTIÃO CARVALHO LEME (Guará-SP, 13 de julho de 1918 – 25 de abril de 2007) foi um fotógrafo brasileiro, inventor de uma máquina fotográfica especializada na obtenção de panorâmicas denominada Máquina fotográfica 360°.


EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL


Uma fotografia 4x6 ct, tirada em 1938 com uma maquininha de caixão Agfa, que usava filme 127, foi que despertou o pendor pela arte fotográfica de Sebastião Carvalho Leme. Leme era diretor do Departamento Fotográfico da Companhia Cinematográfica Vera Cruz em 1950 durante a filmagem de "Caiçara". Também foi o primeiro a processar fotografias coloridas em laboratório próprio em Marília em 1975, quando fazia painéis de até 1,50 m, e ensaios de fotografias artísticas em pôsteres e a gravar vídeo em VHS, também em Marília em 1984, quando, fora São Paulo, só havia em Campinas e Ribeirão Preto profissionais no gênero.


EXPOSIÇÕES FOTOGRÁFICAS


CATEGORIA INDIVIDUAL


- Exposição de Arte Fotográfica de Marília no salão do "Marília Tênis Clube" em 15 de junho de 1946 com 31 trabalhos. (Esta exposição foi registrada no Boletim do "Foto Cine Clube Bandeirante" como a primeira exposição de fotografia realizada no interior).

- Exposição na "Sociedade Legião Brasileira" de Ribeirão Preto em 11 de setembro de 1946 com 28 trabalhos.

- Cerca de 15 exposições sobre a construção de Brasília promovida pela "Sociedade Ingaí de Imóveis", em São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas e Santos, trabalhos colhidos em quatro levantamentos em épocas diferentes.

- Exposição sob o patrocínio da "União dos Treze" em Marília em 15 de novembro de 1947 com 31 trabalhos.

- Exposição patrocinada pela "União dos Treze" em 21 de novembro de 1948 com 38 trabalhos.

- Exposição sob patrocínio da "União dos Treze" em 15 de novembro de 1950 com 35 trabalhos.

- Exposição de painéis sobre a economia de Marília na Câmara Municipal em 6 de dezembro de 1975.

- Exposição na Galeria de Arte do "Black Stream Hotel" em Ribeirão Preto em 2 de junho de 1974 com 22 trabalhos.

- Exposição no Centro Cultural de Marília em 13 de abril de 1981 com 35 trabalhos, na qual foram apresentadas fotografias com seis técnicas diferentes.

- "1º Exposição Fotográfica com Imagens Produzidas em Computador" apresentada no salão da Câmara Municipal em 4 de abril de 1987.[5]

- Exposição de fotos de computador na CCB-EU em 9 de julho de 1994.

- Exposição "Marília no Início da Década de 50" no saguão do Banespa.

- Exposição "60 Anos de Fotografia" promovida no Espaço Cultural da Fundação de Ensino "Eurípedes Soares da Rocha" em 4 de agosto de 1998.

- Autor da "1º EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIAS FEITAS COM MÁQUINA 360º NO BRASIL" realizada no saguão do Teatro Municipal entre 6 a 11 de outubro de 1998.

- Exposição de fotos tiradas com a máquina 360º no Foto Cine Clube Bandeirante de São Paulo, de 30 de agosto a 2 de outubro de 1999.


CATEGORIA COLETIVA


- "Salão de Arte Fotográfica" de Ribeirão Preto (nacional) em 25 de novembro de 1951 com 4 trabalhos (premiado com Medalha de Prata).

- "Salão Nacional de Arte Fotográfica" organizado pelo Foto Cine Clube Marília em 25 de janeiro de 1952 com 4 trabalhos como membro da Comissão Julgadora, fora de concurso.

- "Exposição Mundial de Arte Fotográfica" organizada pela Sociedade Fluminense de Fotografia com dois trabalhos.

- "Salão Coletivo de Arte Fotográfica de Marília" em 11 de abril de 1951. Participação com 10 trabalhos. Membro da comissão julgadora e fora de concurso.

Outras exposições – "Foto Cine Clube de Osvaldo Cruz", "Sociedade Riograndense de Fotografia" e "Foto Cine Clube Bandeirante" São Paulo.


PARTICIPAÇÃO EM CONCURSOS


- "Primeiro Salão de Belas Artes de Marília" Medalha de Ouro e Prata com a tela a óleo "Engenho da Formosa" em 4 de abril de 1948.

- "Concurso Permanente de Reportagem" da Revista "A Cigarra" e premiado em primeiro lugar com o trabalho "Seda: Aurora e Crepúsculo de uma Indústria" – com texto e fotos.

- Concurso "Fotografia do Dia" promovido pelo "Diário de São Paulo" em 1958. Premiado com Menção Honrosa.

- Concurso "Cidade de São Paulo" na categoria Parques e Jardins promovido pelo Sindicato de Hotéis e Turismo e Federação do Comércio do Estado de São Paulo e Foto Cine Clube Bandeirante, premiado em segundo lugar em 1950.


TRABALHOS LITERÁRIOS


- Autor de vários trabalhos publicados no "Correio de Marília" na década 1950.

- Compôs e publicou a Revista "Marília" em 1958 abordando os aspectos econômicos, políticos, culturais e sociais de Marília.

Trabalhos divulgados no exterior

- Álbum de fotografia documentando Marília doado ao presidente Harry Truman, dos Estados Unidos, na "41ª Convenção dos Rotarys Internacional" – maio de 1951.

- Álbum fotográfico doado ao Prefeito de Nova Iorque, Sr. Robert F. Wagner, pela "Associação Paulista dos Municípios" em 1 de junho de 1956.


PARTICIPAÇÕES EM MOVIMENTOS CULTURAIS


- Fundador do "Foto Cine Clube Marília" do qual foi o primeiro presidente.

- Membro da "União dos Treze" do qual foi presidente por duas gestões.

- Um dos fundadores da "Comissão dos Registros Históricos da Câmara Municipal e da Cidade de Marília"

- Membro da Loja Maçônica "Brasil II", Grande Oriente do Brasil – Inativo.

- Um dos fundadores, em 1963, da Loja Maçônica 9 de Julho de São Paulo das Grandes Lojas do Brasil, e que se tornou uma das mais importantes Lojas Maçônicas do Brasil. Inativo.

- Ex-membro do Rotary Club de Marília

- Fundador cotista do Educandário Bezerra de Menezes, tendo, posteriormente, doado a cota a instituição.

- Sócio remido do Clube dos Bancários de Marília.

- Sócio cotista do Country Club de Marília.


MINISTRAÇÃO DE CURSOS


- Curso sobre fotografia ministrado no "Clube de Cinema de Marília" no período de setembro a novembro de 1980.


INVENÇÕES


- Inventor do sistema para fotografar em 360º. Patenteado sob o número 99 271 no "Departamento Nacional da Propriedade Industrial" em 26 de novembro de 1957.

- Nova técnica para expressar arte em fotografia que se denominou "Foto Matizagem".


FILMAGENS


- Documentário em Super 8 focalizando a estrutura econômica de Marília para a Prefeitura Municipal com a duração de 50 minutos. 1980.

- Documentário, com acompanhamento, da construção de casas populares em regime de mutirão, para a Prefeitura Municipal. 1980.


HONRARIAS RECEBIDAS


- Medalha de Mérito Cívico – "Marília de Dirceu" outorgada pela Câmara Municipal de Marília em 29 de janeiro de 1983.

- Título de "Cidadão Mariliense" outorgado pela Câmara Municipal de Marília em 19 de setembro de 1998.

- Título de "Mérito Profissional" conferido pelo Rotary Club 4 de Abril em sessão solene, no dia 19 de agosto de 1999.

- Diploma de "Mérito Cultural" conferido pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo na 11ª SEMANARTE.

- "Certificado de Mérito" conferido pelo Lions Club de Marília Terceiro Milênio em 15 de agosto de 2002.

- Em 30 de agosto de 1999 foi aberta a "Mostra de Fotografias em 360º" no Foto Cine Clube Bandeirante de São Paulo

- Exposição " Imagens de Um Pioneiro" no Espaço Cultural da Fundação de Ensino "Eurípedes Soares da Rocha" em 24 de março de 2003 com 72 fotos , em branco e preto e coloridas, do período de 1940 a 1960.

- Participação em várias Exposições promovidas pelo Foto Clube "Sebastião Carvalho Leme".

- Em 22 de setembro de 2003 promoveu a Exposição "Table Photos" na UNIVEM – Centro Universitário Eurípedes de Marília, com 15 trabalhos de figuras geométricas.

- Em 7 de maio de 2005, lhe foi conferida em Ribeirão Preto, a medalha de "Ícone da Fotografia" em âmbito nacional, pela Confederação Brasileira de Fotografia e Cinema e pelo Grupo Amigos da Fotografia de Ribeirão Preto na "XIV Bienal de Arte Fotográfica Brasileira-Cores"


REFERÊNCIAS


 - Museu homenageia fotógrafos de Marília, SP

 - Exposição faz homenagem aos fotógrafos nos 83 anos de Marília [ligação inativa]

 - Ana Maria Guariglia (13 de março de 1985). «Brasileiro inventa câmera que fotografa 360 graus». Folha de S. Paulo, Ano 65, edição 20433, Caderno Informática - página 37. Consultado em 23 de abril de 2013

- Arte sobre a mesa [ligação inativa]

 - Savério Mungioli (22 de abril de 1987). «Visor». Folha de S. Paulo, Ano 67, edição 21203, -Caderno Informática, página 14. Consultado em 23 de abril de 2013


LIGAÇÕES EXTERNAS


- História da máquina fotográfica 360º

- Fotografia em 360°


SEBASTIÃO CARVALHO LEME


 

 

 HISTÓRIA DA INVENÇÃO DA MÁQUINA FOTOGRÁFICA 360º

 



 

Foto com 360º tirada no centro da cidade de Marília (SP)



Bastidores da Vera Cruz - cinema


Cena do filme “CAIÇARA”


MARÍLIA/SP



IGREJA SÃO BENTO - MARÍLIA (SP)




MÁQUINA FOTOGRÁFICA 360 GRAUS

Inventada por Sebastião Carvalho Leme.



Em 1957 um empresário solicitou uma fotografia de seus prédios em uma confluência de 3 esquinas e o seu interesse era mostrar o conjunto dos prédios em uma só foto, o que necessariamente teria de ser em 360º. Usando uma Rolleiflex com cabeça panorâmica foram tirados 10 negativos que, ampliados e montados, resultaram numa foto com 360º.

 

Daí surgiu o desafio: Por que não tirar num só negativo uma foto de 360 graus?

 

Leme pôs este desafio na "agenda" de sua mente e passou a cogitar uma solução. O embrião de uma ideia surgiu.

 

Numa latinha de massa de tomate instalou uma objetiva, um dispositivo interno que é o princípio da invenção e um pedaço de filme fixo dentro da lata. Com a mão fez girar a objetiva, fazendo, assim, o primeiro teste para sentir as possibilidades. Este teste foi feito em frente ao Senai. Revelando o filme foi comprovada, precariamente, a possibilidade de se tirar fotos em 360º. Feito o primeiro protótipo, já mecanizado, veio a confirmação. Foram feitos 3 protótipos que consumiu cerca de um ano de aperfeiçoamento.

 

Neste ínterim, certo de ter conseguido a solução para tirar fotos com 360º, Leme providenciou o processo de patente que tramitou durante alguns anos no Departamento Nacional da Propriedade Industrial, tempo em que são pesquisadas a viabilidade do sistema e a existência de similares, concedendo a patente em 23/4/62 sob nº 61.472. Cerca de 20 anos após a concessão da patente surgiu nos Estados Unidos um sistema similar, sem, contudo, o dispositivo interno acima referido.

 

A máquina esteve inativa durante 15 anos. No final de 1997 foi reativada e aperfeiçoada, passando, novamente, a ser usada.

 

"O não aproveitamento industrial da invenção é outra história, muito comprida, que não dá para abordar aqui".



(NARRATIVA DA HISTÓRIA COMPRIDA )

VIA CRUCIS DO INVENTOR SEBASTIÃO CARVALHO LEME


“Relato da odisseia pela qual passei na década de 60 logo após ter patenteado o sistema de fotografar em 360º e tentar industrializá-lo dentro dos critérios técnicos de um projeto industrial. Patente concedida em 23/4/62 sob. o número 61.472. Consumi dois anos de idas e vindas de Marília para São Paulo, com todo o rosário de gastos e perda de tempo nos meus afazeres regulares. No menu "História" de meu site está escrito no fim: "O não aproveitamento industrial da invenção é outra história, muito comprida, que não dá para abordar aqui". Esta história passo a relatar”.


Primeira tentativa:

“Logo no começo de uso da máquina, já patenteada, fotografando um comício pró Carvalho Pinto a governador em Osvaldo Cruz, no qual estava presente Jânio Quadros, então governador, ele, Jânio, se interessou pela máquina e mandou me chamar para saber o que eu precisava para desenvolver meu projeto. Disse-lhe que dependia de um projeto de miniaturização da máquina e que o IPT podia fazê-lo (órgão do Governo do Estado). Imediatamente determinou que o IPT iria fazê-la. Alguns dias depois recebi uma carta do Profº. Maffei, então Diretor do Instituto de Pesquisas Tecnológicas, me convocando por ordem do governador para tomar conhecimento do meu caso. Fui lá com a máquina e o contatei tendo ele pedido que fosse ao Butantã e tirasse uma fotografia com a presença do fotógrafo do Instituto. Respondi que não precisava. Convidei-o para descer ao jardim que circundava o prédio, atras da Estação da Luz, para tirarmos uma fotoe2 360º na qual ele e eu apareceríamos para comprovar. Feita a tomada fiz uma tremenda ginástica em São Paulo para revelar o filme e imprimir uma cópia para no dia seguinte lhe mostrar. Comprovado a veracidade me informou que em 15 dias receberia uma carta sua. A carta recebi, mas dizendo que o IPT não tinha verba e assim que a tivesse me convocaria. Aguardo essa convocação até hoje”.


Segunda tentativa:

“Contando com a colaboração solidária do Dr. Argolo Ferrão, Prefeito Municipal de Marília, fui encaminhado ao Cel. Faria Lima, ex-prefeito de São Paulo e então Secretário de Obras Públicas do Governo Estadual Carvalho Pinto, para que, com seu prestígio, tentasse outra solução. O Cel. então me encaminhou ao ITA em São José dos Campos com apresentação ao Prof. de física da escola, Dr. Paulus Saulos Pompéia. Recebido cordialmente ele fez consultas a livros e constatou que de fato tratava-se de uma invenção. Disse que o ITA nada podia fazer pois tinha uma programação estabelecida e não podia elaborar um projeto de terceiros, mas que ele, pessoalmente, poderia fazer um memorial descritivo da invenção, em inglês e português, para publicação na Revista Ciências afim de salvaguardar os direitos. Isto, naquele momento, não atendia as minhas aspirações. Dispensei. O Cel. Faria Lima disse que voltasse a ele se nada conseguisse. Voltei”.


Terceira tentativa:

“Então ele me encaminhou ao Cel. Milanez comandante do Parque da Aeronáutica com sede no Campo de Marte em São Paulo. O Cel. tomou conhecimento do meu caso e através de uma papeleta interna encarregou um Capitão Santos para acompanhar meu caso. Ao Cap. relatei o que pretendia da Instituição que possuía vastos recursos tecnológicos, ou seja, a elaboração do projeto ou a construção do protótipo da máquina. Passei a acompanhar esse Capitão durante o dia todo, inclusive me levou para almoçar em sua casa. Por fim disse que iria tratar do caso, conforme determinação do Cel. Milanez, e me comunicaria oportunamente. Aguardo essa comunicação até hoje. Torna-se oportuno ressaltar que entre uma tentativa e outra consumia meses”


Quarta tentativa:

“O Cel. Faria Lima através de um amigo me encaminhou à indústria de ótica D. F. Vasconcelos, fabricantes de teodolitos, binóculos e da pioneira máquina fotográfica de caixão que tinha o nome de Kapsa. Recebido atenciosamente pelo dono, Dr. Décio Vasconcelos, o mesmo tomou conhecimento do caso e marcou uma reunião para o dia seguinte. Nessa reunião, no dia seguinte, estavam presentes, além do Dr. Décio, a cúpula da área de produção, inclusive o engenheiro projetista. Mostrei a máquina e fiz uma explanação sobre o princípio e funcionamento da mesma. Daí foram consultar livros de física e outros referentes à ótica e fotografia, concluindo (modéstia à parte) que se tratava de verdadeiro "Ovo de Colombo" (expressão deles no momento). Diante das conclusões que chegaram o Dr. Décio decidiu que iriam fabricar a máquina e para isso me convocou para voltar 10 dias depois afim de coordenar o início da elaboração do projeto. No dia aprazado compareci à fábrica. Recebido pelo engenheiro chefe, do qual infelizmente não guardei o nome, passei a fazer um passeio por quase todas as instalações da indústria em sua companhia. Lá permanecendo quase o dia todo. Inclusive conheci um laboratório para operações de alta precisão onde calibravam os teodolitos, construído no subsolo para não ser afetado pelas vibrações da superfície. Conheci, também, a utilização de fios de teia de aranha para fazer as linhas referenciais do visor dos teodolitos. Lá almocei com ele no restaurante da fábrica. Pelas tantas tocou no assunto da construção da máquina, e disse: "Sr. Sebastião aqui na indústria sou o único engenheiro projetista que pode fazer o seu projeto. Se for fazê-lo terei que ficar uns dois meses na prancheta e a fábrica pararia porque toda a coordenação aqui dentro está aos meus cuidados. Diariamente pomos anúncios nos classificados convocando projetistas para contratar, e não aparecem. Daí a impossibilidade de iniciarmos a construção da máquina. Se o Sr. nos trouxer um projeto pronto tornará possível fazê-la". Fim de papo. OK. Mas fazer o projeto eu não podia. Não tinha recursos financeiros para isso e nem sabia a quem recorrer, pois um projetista sem vínculo e interesse com a iniciativa não faria um trabalho eficiente”.


Quinta tentativa:

“Encaminhei ao Ministro da Indústria e Comércio, Pratini de Moraes, quando de sua primeira investidura, uma petição documentada pedindo que o Ministério encampasse o meu projeto. Respondeu-me que tinha encaminhado a um certo Departamento de Avaliação e que entrariam em contato comigo. Nunca houve contato. Fui procurado por vários interessados em fabricar a máquina, pessoas físicas, jurídicas e até bancos, mas sem base para um projeto bem sucedido. Mais por especulação”


Marília, 18 de agosto de 1999

Sebastião Carvalho Leme



CONTINUA...



A SEGUIR, TUDO SOBRE O LIVRO EDITADO POR SEBASTIÃO LEME NO ANO DE 1956 CONTANDO A HISTÓRIA DE MARÍLIA. CONFIRA:



OS MOTIVOS DESTA INICIATIVA


"Os municípios, as comunas, são as células-máter componentes do Estado. Pequenos ou grandes, brilhantes ou obscuros, antigos ou novos, são, sempre, as partes que o todo não pôde prescindir. Cada um proporciona sua parcela à estruturação e harmonização do conjunto. Deles saem os elementos impulsionadores do progresso na nação, representados pelos produtos que lhes são naturais ou pela cultura; tudo forjado à custa de sacrifícios ingentes, dada a falta de recursos, sempre negados pelos poderes superiores centralizados nas capitais.

Dentro do movimento municipalista vitorioso, surge uma demonstração de força das comunas paulistas, semiesquecidas.

Eis, portanto, MARÍLIA, monumento de operosidade, em toda a pujança de sua estrutura física e social, fruto de esforços múltiplos de origem particular. Esforços de homens desprendidos que, dentro da Pátria comum, escolheram um torrão de terra onde erigir um reduto de civilização e progresso.

Coletando dados e fotografias, aqui e acolá, dando-lhes unidade, planejei este trabalho. Outros poderiam tê-lo feito, com maior brilho. Não o fizeram, contudo; e, por não ter sido feito, propus-me a realizá-lo pelo muito que estimo esta terra.

Quanto à obra, se alguma coisa nela faltar, perdoem-me os pósteros. Fiz o que pude".


(Sebastião Carvalho Leme)




Os brasões, da ASSOCIAÇÃO PAULISTA DOS MUNICÍPIOS e da cidade de MARÍLIA (SP)




  O poema "MARÍLIA"


"No meio da mata bravia, selvagem, um brilho aparece...

Será uma estrela que nela palpita?

Será o orvalho que gotas destila?

Não.

O que brilha com brilho, com gotas de orvalho, com brilho de estrela, na imensidade da mata selvagem, é o gume de aço do ferro machado, que vibra no espaço criando cidades.

Marília que nasce.

No sítio onde fora u'a mata selvagem agora já existe uma grande cidade

E luzes cintilam

E luzes se avultam

Não são os brilhantes e não são as safiras

O que brilha com brilho de puro diamante, com brilho de joia de luz faiscante na imensidade da grande cidade, é o fogo das forjas chaminés das indústrias, irradiando progresso aonde já fora u'a mata selvagem

Marília que cresce.

(Sebastião carvalho Leme)



AUTORIDADES DA ÉPOCA:


-JÂNIO QUADROS (governador de SP)

-MIGUEL ARGOLLO FERRÃO (prefeito de Marília)

-JOSÉ GUIMARÃES TONI (presidente da Câmara de Marília/SP)

-ANIZ BADRA (presidente da Associação Paulista de Municípios)




Avenida Sampaio Vidal em 1929





O mesmo local 54 anos depois



CONTINUA... PARTE II




344 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Комментарии


bottom of page